Manifesto da lã

Posted by Clara Beauty Posted on jul - 25 - 2012

Somos fãs de fios naturais.

Por que?

Porque fios naturais são mais agradáveis ao contato com o corpo; sua produção não prejudicam (ou prejudicam menos) o meio ambiente; blocam melhor; esquentam ou esfriam na medida certa.

Entre as fibras naturais, vamos destacar a lã, que é o material que a gente mais identifica com tricô.

Sim, lã é mais caro que acrílico. Sim, lã é mais chato de lavar. Então, por que comprar lã?

Listamos abaixo uma série de motivos e curiosidades sobre esse material que a gente ama tanto para você conhecer e valorizar:

1- Lã é um produto animal proveniente de ovinos e caprinos (ovelhas e cabras). É também chamado lã o pelo produzido por camelídeos (lhama, alpaca, vicunha, o próprio camelo), bovinos (qiviut), coelho (angorá) e até gambá, entre outros bichinhos. O processo inclui: tosa do animal (menos do coelho, que é penteado), lavagem do pelo (várias vezes), carda (para tirar impurezas), fiação, tingimento, fazer meadas/novelos.

O preço do fio feito de cada um desses animais varia de acordo com a disponibilidade no mercado, cor, raridade.

Por exemplo, cada coelhinho angorá, por exemplo, dá cerca de 200gr de fibra, que depois de processada dá menos ainda em fio. Ou seja, pense aí quantos coelhinhos precisariam para fazer lã suficiente para sua blusa. É por isso que fios que contém esse material em sua composição tendem a ser mais caros (e mais macios!).

Por este caminho, lã merino é mais barata porque existem muito mais dessas ovelhas e elas individualmente produzem muito mais lã do que coelhinhos. Então, um fio 100% merino será mais em conta do que um que contenha merino e angorá.

Agora, claro, se a gente for comparar com acrílico, a diferença é absurda. Acrílico é feito com petróleo. Ou seja, o homem vai, constrói uma plataforma no meio do mar, vai lá com uma broca, perfura o solo, arranca o petróleo, carrega um navio, traz para uma refinaria em terra firme, e sei lá quantos processos depois, sai um novelo de fio acrílico.

É estranho que depois de todo esse processo que envolve milhões de dinheiros o acrílico ainda seja mais barato que a lã, mas é assim que as coisas são hoje em dia. Porém, acrílico não esquenta. É um tipo de “plástico” que esfria quando está frio e esquenta quando já está quente. Tem aquela sensação de “crec-crec” na pele. Não bloca bonito. Sua peça desbeiça com mais facilidade.

Se esses motivos não forem suficientes para você mudar de idéia e começar a comprar lã natural, considere também que na cadeia de produção de acrílico, há o risco de um casco de navio romper, o óleo espalhar e matar milhares de peixes e aves no mar. Pense também que comprando lã, você está dando emprego a vários lanifícos artesanais e sustentando famílias.

Escolher lã (e outras fibras naturais) é uma atitude sustentável e responsável.

2- É comum a gente ouvir falar por aí que lã dá alergia e preferir usar acrílico, por exemplo na hora de fazer roupinhas de bebê. Mas a verdade é um pouquinho diferente.

O pelo de animais, assim como o nosso cabelo, tem escamas. São essas escamas que dão a sensação de “pinicamento” quando vestimos peças de lã. Porém, nem todo cabelo é igual, por que lã deveria ser? Quanto mais curta é a fibra da lã, mais macia ela é. Merino, por exemplo, é um excelente exemplo de fio feito a partir de pelos com fibras curtas, ideal para usar peças que ficam em contato direto com a pele. Já a lã feita com fibras mais longas, como corridale (outra raça de ovelha), podem ser usadas em casacos externos e mesmo meias, já que fibras mais longas são mais ásperas, sim, mas mais duráveis e fazem menos bolinhas, além de serem, no geral, mais brilhantes.

Ainda, também pode ser apenas uma questão de se acostumar. Depois de usar alguns dias uma blusa que pinica levemente, a sua pele passa a não se incomodar mais.

Sobre o acrílico, quem disse que não dá alergia? Como se trata de um fio artificial, “plástico”, ele não deixa o suor evaporar. Em contato prologando com a pele, o atrito da pele suada com o acrílico pode provocar as famosas alergias de contato.

Se mesmo assim você não quer arriscar, faça peças com algodão. Não aquecem tanto, mas são completamente fora de risco.

3- Lã é lã. Algodão é algodão. Acrílico é acrílico. Nylon é nylon. Seda é seda. Linho é linho. Etc é etc. O que queremos dizer com isso? Não invente de pegar um novelo de um fio 100% acrílico e chamar de lã, por favor! Não existe lã de acrílico, lã de seda ou lã de nylon. É igual dizer “margarina de manteiga”. Chame de “FIO”. Simplesmente isso. Fio é a coisa que se usa para tricotar. Um fio pode ser de um material ou de vários combinados, então diga diga que usou um fio com lã e acrílico na composição, ou fio com lã e seda, por exemplo.

Então, da próxima vez, invés de dizer que você usou “lã Família” para fazer um casaquinho, diga que usou o “fio Família”. É o correto.

4- Lã não esquenta. É estranho a gente ouvir isso, mas é verdade. Lã é, na verdade, um isolante térmico. Quer dizer, ele não deixa a temperatura ambiente passar pelas suas tramas. Isso quer dizer que o frio que está lá fora não alcançará um corpo vestido com lã e, com isso, o calor produzido pelo próprio corpo é que vai esquentar a pessoa. Pelo mesmo motivo que usamos roupas de lã no frio é que os habitantes dos desertos também o usam. Sim! Neste caso, a lã serve para não deixa o calor excessivo do ambiente passar para o corpo e, principalmente, não deixa a umidade do corpo evaporar, o que provocaria uma desidratação séria em questão de horas, podendo até matar.

5- Dica ecológica: quando for comprar fios de lã para seus trabalhos, verifique se há disponibilidade fios sem tingimento em cores escuras (cinza, bege, marron, chocolate, preto). Esses fios são normalmente desprezados pela indústria, que prefere comprar fios em cores claras para tingi-los artificialmente. Sim, a gente também ama fios super coloridos, mas com isso, em algumas raças de ovelhas, os animais em cores escuras estão desaparecendo. A gente tem o poder de mudar isso fazendo opções ecologicamente conscientes e incluindo em nossas compras alguns novelos nessas tonalidades. Como você vai usar? Nada mais bonito e interessante que um peça em jacquard usando duas cores naturais, não é mesmo? Ou ainda, por que não fazer luvas ou gorro marron?

6- Lã não serve apenas para tricô: você também pode usar para crochê, para feltrar, para tear, para bordar e fazer outros artesanatos que sua imaginação mandar. Da mesma forma que para tricô o fio não precisa ser necessariamente de lã. Você pode usar seda, algodão e viscose nos climas quentes, por exemplo. Acrílico e nylon também tem seu valor. Não limite sua criatividade com pré-conceitos. Use o fio que você deseja para fazer o artesanato que você quer.

7- Sabe aquele casaco que depois que você tirou das agulhas estava um primor e depois que você deixou secando pendurado no varal ficou uma tenda de circo de tão grande? Pois deixa a gente te contar um segredo: não se pendura nada feito de lã, nem para secar, nem para guardar no armário. Lã tem uma propriedade valiosa que é elasticidade. É essa elasticidade que faz uma meia ficar tão bem acomodada no seu pé e mantém o caimento de uma blusa mesmo quando a gente põe uns pontinhos a mais ou a menos. Mas convém não abusar. Pendurada, o peso da própria peça vai faze-la crescer, crescer, crescer… então, deixe-a secando esticada numa superfície plana (e na sombra, hein? para não desbotar) e guarde-a sempre em gavetas ou prateleiras.

Obs.: Falando sobre “esticamento” das peças, lembre-se sempre de lavar e blocar suas amostras antes de tirar as medidas para evitar surpresas desagradáveis. Mais informações: http://www.tricoteiras.com/?p=5511

8- Não se lava nada feito com lã na máquina – a menos que você queira feltrar a sua peça, qualquer coisa que tenha sido feita com fio 100% lã merece delicadeza na hora de lavar. Por isso, não jogue na máquina, não esfregue, não use qualquer sabão. Sua peça vai durar muito mais se você tratá-la bem na hora de limpar.

Existe uma exceção, que são os fios chamados de superwash, que são de lã mas passam por um processo que o impedem de feltrar mesmo que esfregados e batidos na máquina. Uma atenção especial na hora de usar esses fios: esse processo faz com que esses fios estiquem ainda mais que o normal. De novo, e principalmente ao usar esses fios, convém lavar a blocar a amostra antes de medir.

9- Não guarde seus novelos em locais úmidos e escuros – traça é o pior inimigo da lã. Guarde seus preciosos novelinhos acondicionados em sacos plásticos ou caixas. De vez em quando abra as caixas para ventilar e ver se está tudo ok.

Por fim, uma última dica (que vale para tudo nessa vida):

Não se preocupe em ter estoques infinitos de novelos. Armário cheio provoca angústia: a gente olha com tristeza aquele monte de fio bonito sabendo que nunca vai conseguir tricotar tudo nem nessa vida, nem nas próximas cinco encarnações.

Então, tome uma atitude para o seu bem emocional, psicológico, financeiro e estético: compre apenas fios bons, pensando exatamente na receita que quer executar. Compre o melhor fio que você puder, o que não quer dizer que seja o mais caro da loja, mas o mais apropriado.

E, mesmo que escolha comprar acrílico, compre apenas o necessário. Se sobrar muito, faça bazares (as amigas vão adorar!) ou doe para projetos solidários (quem precisa vai adorar também!)

Categories: Notícias

17 Comentários nesta postagem.

  1. Dirma disse:

    Muito esclarecedor.

  2. Gostei demais da matéria: aliás, tenho um armário assim como o que está descrito aqui… Vocês estão me espionando, é? rsrsrsrsrsrsrsrsrs…

  3. Tricoteiras disse:

    hihihihihihi
    Luciana,
    vc e quase todas as tricoteiras que eu conheço.
    Eu ERA assim. Aí tive que me desfazer de 99% do meu estoque e depois disso não refiz o estoque. Me sinto melhor assim, livre para ir ao armarinho toda vez que preciso :)
    Bjos
    Clara

  4. m izabel disse:

    Clara, adorei a postagem!!
    Quanto ao armário, estou fazendo revisão e doando.Depois que se acostuma com fios bons, não se consegue trabalhar com Kiódio e afins.
    Bjos

  5. Lilian Lie disse:

    Quanta informação interessaante!

  6. Nicole Sigaud disse:

    Clara, uma coisa que aprendi com a minha vó, e que funciona maravilhosamente dentro de armários, gavetas, caixas, etc, é usar várias bolinhas de pimenta-do-reino espalhadas, mas sempre protegendo as linhas ou peças prontas em saquinhos de papel de seda dentro dos plásticos, para não correr o risco de manchar. Baratas detestam essa pimenta, e lascas de cedro espantam as traças, tanto aquelas de casulinho quanto as ‘peixinho prateado’, horrorosas e que correm rápido feito baratas.

  7. Lúcia disse:

    Gostei muito, parabéns

  8. Glaucia Ricci disse:

    Depois que eu conheci vocês aprendi muito, mas muito mesmo, em relacão ao tricô e fios, os fios “hãã” não fazem mais parte da minha vida kkkkk
    Excelente artigo Clara, estou baixando meu estoque aos poucos…meu nome é Glaucia estou sem comprar fios e afins há 3 meses, estou em crise de abstnência mas tenho ocupado minha mente para esquecer do cartão de crédito, não passo em frente a lojas de armarinho e nem visito site de lojas online…aiiiiii como dói mas eu sei que vou vencer!! kkkkkkkk

  9. Celia Rorato disse:

    O que é feltrar uma peça?

  10. Tricoteiras disse:

    Oi Celia
    feltrar significa transformar a peça num pedaço de feltro. Isto é, os pontos se desmancha e o tecido vira uma coisa só.

    Existem receitas ótimas com esta técnica, mas quando não é o que você quer, é realmente uma catástrofe.

    Bjos
    Clara

  11. MAravilhosa materia adorei bjs lu

  12. rita fregapani disse:

    Aprendi muito! Obrigada.

  13. Marina disse:

    Além de esclarecedor, lindo!

  14. Adorei a matéria, mto boa mesmo hehehe

  15. MARCIO disse:

    MUITO ESCLARECEDOR. TANTO QUE JA FIZ MEUS CADASTROS PARA NOVAS AQUISIÇÕES NA FAZENDA CAIXA D’ÁGUA E FIOLA
    ABRAÇO

  16. Rosaura disse:

    Adoreiiii o texto de voces. Esclarecedor e vai mudar a maneira de muita gente falar daqui para frente.
    Só acho triste que aqui no Brasil não tenhamos a variedade de fios que na Europa eles tem , e que quando chegam aqui , o preço fica impraticalvel.
    Abraços

  17. Tricoteiras disse:

    Oi Rosaura
    a gente só vai ter esses fios bons aqui quando deixar de comprar as bolinhas que vêm da China e ligar para as empresas pedindo fios realmente bons, de qualidade.

    Quer dizer, depende de nós mudar essa realidade.
    Bjos
    Clara